energia solar para casas

De acordo com Tiusso, a adesão dele ao novo sistema ocorreu por três motivos: financeiros, ambientais e de eficiência energética. “Nesses dias de intenso calor, momento em que a rede pública está mais saturada, fornecendo energia para todos aqueles que estão utilizando aparelhos de ar-condicionado, é exatamente o momento em que o sistema [instalado em casa] está gerando mais energia e a injetando na rede pública”, afirmou. Segundo a Companhia Energética de Brasília, a Embaixada da Itália também aderiu ao novo sistema. Além disso, um morador do Lago Sul apresentou proposta recentemente para instalar os equipamentos na casa dele.

Ao todo, sete painéis solares fixados no teto do imóvel produzem a energia, que é medida de forma diferenciada pela distribuidora. “Toda a energia que eu não estou consumindo, poderá ser consumida pelo meu vizinho”, ressalta. Se a casa produzir menos do que consumir, o morador pode ter descontos equivalentes na conta de luz.

“A causa dessa estiagem foi um sistema de alta pressão no Oceano Atlântico e na costa do Brasil entrando pelo continente, que não permitiu as frentes frias chegarem em parte do Sul e no Sudeste”, declara Carlos Nobre, secretário do ministério de Ciência e Tecnologia.

“É o primeiro caso que temos e estamos vendo como a Secretaria da Fazenda avalia em termos de [pagamento] impostos”, afirmou o relações institucionais da EDP, Marcos Scarpo. De acordo com ele, a microgeração de energia pode contribuir principalmente em picos de consumo em todo país. “No momento do horário de ponta, o sistema está fora da nossa rede e pode contribuir para postergar investimentos”, analisa.

O servidor público Carlos Eduardo Tiusso ostenta orgulhoso um “título” importante: ele é o primeiro morador de Brasília a adotar o sistema de medição bidirecional de energia domiciliar. Na prática, isso significa que Tiusso produz a energia que consome e o excedente ele devolve à rede de energia. No fim do mês, ele consegue um desconto de até 70% na conta de luz.

As alternativas para a produção de energia no Brasil são o tema de uma série de reportagens que o Jornal Nacional apresenta nesta semana. E, na primeira delas, André Trigueiro mostra como o nosso país desperdiça uma fonte que a natureza oferece com a maior generosidade.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *